sexta-feira, 12 de outubro de 2012

[FIC] Vingança || Capítulo 03: Escuridão


Sou Carrie Heigh, e quando eu tinha apenas cinco anos, vi minha família ser morta graças ao Exército de Solária, tudo comandado por um tal de 'Rádius', na época desconhecido. Fui abrigada e criada por um banqueiro milionário, e quando completei vinte anos, tudo o que havia acontecido naquele trágico dia explodiu em minha mente. Agora, sou uma recruta de Solária,  junto com minha amiga Ester, que assumiu minha antiga identidade de 'Linda Hartley'. Nós duas, com a ajuda de John, vamos fazer o Sistema Corrupto de Solária cair, juntamente com todos os que são coniventes com esse Sistema. Assim, aquele Rei desgraçado vai pagar muito caro por tudo o que fez. E a última palavra que ele dirá antes de cair morto, será o MEU nome. Essa, não é uma história sobre perdão.




Capítulo 03: Escuridão

A escuridão em si não existe. O que existe é simplesmente o grande problema da ausência de luz. Porém, mesmo assim, a escuridão consegue cegar até os mais determinados...

- Precisamos voltar antes que alguém perceba que aquele guarda teve a 'overdose', vamos! -Carrie disse, correndo com Linda em meio à várias árvores-

- Tem certeza que indo por aqui chegaremos mais rápido?! Lembrando que também temos o treinamento! -Linda disse, correndo-

- Não mais rápido, porém mais seguras. E Linda, muito obrigada. -Carrie disse, tentando ser meiga, porém a correria não deixava-

- Essa Vingança também pertence à mim, minha amiga.  -Linda disse-


... NA MANSÃO DE JOHN ...

"0 Online".

- Ninguém Online? -John se perguntara, sozinho-

E então tentou contato novamente.

"0 Online".

- Onde estão aquelas garotas?! Combinamos de nos falarmos sempre meia hora antes dos inícios dos Treinamentos! -John continuou falando, sozinho, preocupado.-

- Senhor John? -Uma empregada apareceu no quarto de John-

- Margarida? Aconteceu alguma coisa? -John perguntou, tamborilando com seus dedos na mesa-

- Um velho homem está batendo na porta. Olhei pelas câmeras e ele parece ser bem suspeito. Suas roupas estão completamente surradas! -Margarida disse, segurando na cruz de seu colar que sempre carregava em seu pescoço-

- Obrigado. Vou verificar. -John agradeceu, saindo de seu quarto junto com Margarida.

Alguns minutos depois e John foi atender o tal homem.

- Pois não? O que o Senhor deseja? -John perguntou, depois de abrir a porta de sua mansão, com uma arma devidamente escondida em seu casaco-

- Não se lembra de mim, desgraçado?! -o homem perguntou, ao mesmo tempo em que tremia com o frio que estava fazendo naquela região montanhosa, perto das fronteiras de Solária-

- Me desculpe, mas... Não sei quem é o Senhor. -John disse, olhando bem para o homem, que parecia ser um mendigo louco qualquer.-

- Não sabe quem eu sou, mas com certeza deve se lembrar de seu queridinho Rádius! -o velho gritou, puxando uma faca de seu bolso e indo para cima de John-

John segurou o homem, que não conseguiu mais se soltar.

- O que está dizendo?! -John perguntou, segurando o homem, depois de pegar a faca e lançar para longe dali-

- VOCÊ! Você e aquele Rádius maldito! Mataram minha filha! O único bem, o bem mais precioso que eu tinha! -o homem gritava, tentando se soltar-

- Como o Senhor sabe dessas coisas?! Meu senhor, não trabalho pra Rádius há anos! Quando sua filha morreu?! -John perguntara-

- Há C-ci... cinco anos... -o velho disse, cedendo-

- Meu Senhor... Não trabalho pra Rádius há mais de 20 anos... -John disse, largando o pobre homem-

- Mas... Eu pesquisei sobre você e... -o homem disse-

John tentou pronunciar alguma coisa, mas sua mente se embaralhou ao ver aquele homem parado, sem ação, decepcionado. Um silêncio constrangedor surgiu... mas em poucos segundos ele foi quebrado.

- Sabemos disso, mas você ainda continua sendo um desgraçado! -o homem gritou-

E acertou a cara de John com um enfeite que pegara. John caiu.

- Preciso te levar, querido milionário. -o velho disse, acertando John com um dardo tranquilizante, logo em seguida-

Em poucos segundos, John adormeceu.

- Margarida, bom trabalho. Os $15.000 já estão em sua conta. -o velho disse-

- Lembrando que meu emprego precisa ficar intacto. Foi o que combinamos. -Margarida disse-

- Ficará, se ele não for culpado e voltar vivo de "lá". -o homem disse-

- E onde exatamente é esse "lá"?. -Margarida perguntou, entrelaçando seus dedos-

- Nada que você precise e mereça saber. -o homem disse-


... EM SOLÁRIA ...

- Carrie, como vamos entrar lá?! Vários guardas protegem aquela entrada... -Linda disse-

- Quem disse que entraremos pela porta da frente? Ou melhor, quem disse que entraremos? Linda, só viemos aqui para comprovar que será impossível entrarmos naquele lugar. -Carrie disse-

- O quê? Carrie! Você mesma disse que precisamos fazer isso! -Linda disse-

- Exato. E eu também falei que quem dita as regras nesse jogo, sou eu. -Carrie disse, olhando suas unhas mal feitas-

- O que quer dizer com...

- Quero dizer que só precisamos de um computador para entrarmos no Sistema de Solária. Só precisamos nos conectar com a rede Wi-Fi mais próxima e 'voilà'! -Carrie disse-

E completou...

- Vamos voltar até o Guarda drogado.

... puxando Linda pelo braço logo em seguida.


... LÁ...

- Carrie, não podemos ficar aqui, logo vão encontrá-lo! -Linda disse, preocupada-

- Calma. Será rápido. -Carrie disse-

E então tirou um pequeno Ipad de seu bolso.

- Estamos numa área onde não é permitido o uso de qualquer aparelho que te deixe em contato com o resto do mundo. O único sinal que se pode ter por aqui é o sinal do subterrâneo, onde fica o Sistema de Computadores deles. E agora... estou me conectando a rede deles pelo Ipad e... PRONTO! -Carrie disse, jogando o Ipad logo em seguida em cima do guarda-

- O que você fez?! -Linda perguntou-

- Agora eles receberão esse sinal, de que alguém não autorizado está se conectando! Vamos correr! -Carrie disse, puxando Linda pelo braço-

- O QUÊ?! -Linda gritou-


... ALGUNS MINUTOS DEPOIS ...

- Ainda não entendi o que você fez, Carrie. -Linda disse, já entrando no alojamento com Carrie-

- Irá entender agora. -Carrie disse, abrindo o alçapão-

- Hãn? Outro notebook? -Linda perguntou, com sua cara de "ela é mais louca do que eu'-

- Lembra de quando você entrou em contato comigo quando estava indo atrás do guarda drogado? Então, eu não estava "aqui dentro pesquisando algumas coisas", eu estava roubando esse Notebook de um alojamento. -Carrie disse-

- Um alojamento? -Linda perguntou-

- Sim. O Alojamento de Otávio Augusto. -Carrie respondeu-

Linda sorriu.

- E agora... - Carrie pegou o bracelete-pendrive de Linda - Hora de nos conectar!

E plugou o Pendrive no notebook. Uma janela começou a carregar. Carrie rapidamente se conectou à rede Wi-Fi de Solária e alguns segundos depois...

"/xx5975 prompt-javavirus-ip://254.577.999.000.xxx64/xxx5975control/password:AUTOMATIC-SYSTEM--/"

- F-fun... Funcionou? -Linda perguntou-

- Perfeitamente. Tudo será mandado para nosso Notebook. Invadimos o sistema de Solária! -Carrie disse, sorrindo-

E completou:

- Merda... Temos que estar no campo de treinamento em 3 minutos!

- Então vamos!

- NÃO! Esse Notebook é de Otávio. Preciso devolver a ele. Faz parte do plano! -Carrie disse, pegando o Notebook-

- Carrie, o que eu faço?! -Linda perguntou (possivelmente a trigésima pergunta dela no dia)-

- Vá para o treinamento, enrole, diga que alguém me chamou. Chegarei lá em breve. -Carrie disse, saindo correndo logo em seguida-

- C-carrie! Droga... -Linda reclamou-

E alguns segundos depois também saiu correndo, porém em direção ao Campo de Treinamento.


... LONGE DALÍ ...

- H...hm... Hãn?! O-o q-quê?! Onde estou? -John acabara de acordar-

-John, John, John... O melhor capitão de Solária de 1992! Ouvi muito falar de você... -Um homem se aproximava de John-

- Q-quem... Quem é você?! -John perguntou, amarrado por correntes em uma cadeira de ferro-

- A pergunta certa a se fazer é "onde estou?", não acha? -o homem disse-

John nada falou, apenas se balançou numa tentativa fracassada de se livrar das correntes.

- Se acalme. Você só sairá daí apenas quando EU quiser. -O homem disse, com os braços cruzados-

- QUEM É VOCÊ?! O que quer comigo, seu filho de uma

- CALE-SE! -O homem gritou, puxando uma arma que estava presa à seu cinto e apontando para John-

Logo após, abaixou sua arma e continuou a falar:

- Você está num quarto, em minha casa, que mais tarde pretendo transformá-la numa sede da Operações da Fuga. -O homem disse-

- Quê?! Cara, preciso de algo mais sólido! -John disse, com um tom arrogante, se retorcendo na cadeira-

- Eu já disse pra se acalmar! - o homem gritou, apontando sua arma para John, novamente-

John sossegou.

- Você deve estar se perguntando "O que seria Fuga?". "Por quê este belo homem me sequestrou?" e eticétera, eticétera, eticétera.

- Sinceramente? Estou é me perguntando porquê um maldito sequestraria uma pessoa que já serviu a Rádius e que poderia cortar sua cabeça assim que fosse solto! -John disse-

- Ha Ha Ha! Aprecio seu senso de humor, meu caro. - o homem puxou uma cadeira qualquer e se sentou - Mas eu realmente não estou pra brincadeiras.

- Certo... Então fale o porquê estou aqui, já que não sou homem de perder tempo e já que você "não está pra brincadeiras". -John disse-

O homem se levantou, com uma expressão irritada no rosto e começou a falar:

- Sei sobre você, sei sobre o que você procura atualmente e sei sobre como você se tornou um banqueiro milionário; como conseguiu aquela bela mansão. Meu caro, eu também estava no mesmo time que você. Fui um recruta, mais tarde um Agente de Solária e entrei para a mesma seita que você entrou. A escuridão me dominou por completo, consegui coisas e queria muito mais; porém cometi o mesmo erro que você. Me apaixonei. APENAS me apaixonei por uma das recrutas e ela foi morta. Eu, fui expulso da seita, de Solária, sem nada, e ameaçado. Se eu contasse alguma coisa, eles me acusariam de um assassinato, um assassinato que me faria levar prisão perpétua, ou talvez até pena de morte. Claro, que não matei ninguém, mas todos pensariam isso. Minha vida foi destruída, passei anos pelas ruas, fiquei louco, fui internado, mas aqui estou. Soube de sua história, soube que você só tem dinheiro e só está vivo porquê tinha provas contra Rádius. Porém, não posso dizer o mesmo sobre sua mulher...

John começou a lacrimejar, ouvindo tudo aquilo.

- C-co-como... C-como você sabe disso tudo?! -John perguntou, com a cabeça baixa-

- A escuridão que reina em Solária consegue juntar muita gente que é conivente com os planos de Rádius. Você fazia parte da seita, eu logo faria parte. Fui expulso de lá apenas 1 ano e meio depois de você, e com certeza ouvi algo a respeito. Você fez aquele escândalo todo, mas mesmo assim muitos não acreditaram em sua história, e os que acreditaram e tentaram revolução, foram mortos. Eu, fiquei neutro. Quando tudo aquilo aconteceu comigo, lembrei de você e de outros que foram expulsos e tiveram suas vidas destruídas. Anos se passaram e hoje aqui estou para juntar todos os que querem Vingança contra Rádius. Comecei por você, e pretendo encontrar os outros. Juntos, vamos derrubar Rádius.

John gargalhou. Em sua mente, pensava em Carrie, em Linda, e que ele já havia começado sua Vingança antes. Porém, nada disse.

- Do que está rindo?! -o homem perguntou-

- Da sua estupidez! Rádius NUNCA será derrotado! Ele é dono de um dos maiores Reinos do Universo Mágico! Será impossível derrubá-lo! A única coisa que podemos fazer é aceitarmos nossa DERROTA! -John gritou, tentando esconder tudo o que estava planejando com 'suas' meninas-

- Isto... NÃO é verdade... -o homem disse, apontando a arma para John-

- Por favor! Isso é loucura! Precisamos de GRANA! Precisamos ter um Reino, bilhões e mais bilhões! Tenho um banco! Um banco que atualmente perde mais dinheiro do que ganha, um banco prestes a falir. Não temos NADA! NADA que possa derrubar Rádius! -John mentiu sobre tudo-

E completou:

- E se eu me lembro bem, não foi você que me sequestrou. Aquele velho também pertencia à Solária?

- Não exatamente. Dei grana à ele, ele te trouxe pra mim, e eu o matei, simples assim.

- O QUÊ?! -John gritou, indignado-

- Não podemos deixar informação vazada! Ou nosso plano não dará certo.

- NOSSO plano? Não existe um "nosso", seu maldito! Não me misturo com assassinos! -John disse-

- Hahaha! Não se mistura? Por favor! Você já tirou muitas vidas, John. Não se faça de "bom moço" pois isso você não é. -o homem disse-

- JÁ CHEGA! Se você quer uma resposta, então a resposta é "NÃO". NÃO! Não vou me tornar um fracassado como você! -John disse, se rebatendo na cadeira-

- Certo. Essa é sua escolha? Tudo bem. Mas agora, você sabe da minha história e sabe o que eu pretendo fazer, sendo assim, terei que te apagar. -o homem disse, apontando novamente sua arma para a cabeça de John-

- Largue... essa... arma! -John gritou-

- Sssssssssssssssssshiu... Calado... -o homem disse, destravando a arma-

Porém, antes que pudesse apertar o gatilho, foi acertado por John, que se levantando da cadeira conseguiu controlá-la apartir das correntes.

- D-DESGR-RAÇADO! -o homem gritou, depois de perder a arma-

John chutou a arma para longe.

- Você pode ter sido um bom recruta, talvez até um bom agente, mas foi treinado por capitães, eu, fui treinado diretamente por Rádius! -John gritou-

E acertou a cadeira na cara do homem, que desmaiou.

John respirou fundo, e foi atrás da arma. Conseguiu pegá-la ainda com as mãos amarradas, porém não podia atirar nas correntes para se libertar sem que fosse atingido.

Sendo assim, a travou novamente e saiu do quarto.


... EM SOLÁRIA ...

- Carrie... cadê vocêêêêê...? -Linda sussurava para si mesma, enquanto Otávio Augusto inspecionava se todas as garotas estavam alí-

Porém, o desespero acabou quando Carrie apareceu.

- Onde você estava?! -Linda sussurou para Carrie, nervosa-

- Eu já disse! Fui na casa desse desgraçado colocar o notebook no lugar. -Carrie respondeu-

- SILÊNCIO! -Otávio Augusto gritou, um pouco distante das garotas, e preenchendo uma 'Lista de Chamada'-

- Carrie, o que você feeez? -Linda perguntou-

- Simples. Usei um Ipad descartável para entrar no Sistema de Solária. Agora, esse Ipad está em cima do nosso guarda drogado. Se ainda não se tocaram que ele está caído na guarita, provavelmente ainda vão se tocar, e vão achar o Ipad. Mexi no Ipad e fiz ele trocar informações com um Notebook, aquele Notebook de Otávio. E implantei o vírus apartir do Notebook de Otávio. Ou seja, encontrarão o guarda, chegarão até o Notebook de Otávio, verão algumas informações que plantei lá, e pronto! Acabaremos com dois de uma só vez... -Carrie explicou a história toda-

Linda sorriu, mais calma.

Otávio continuou fazendo a chamada, porém, um soldado chegou correndo no Campo de Treinamento, gritando pelo nome dele.

- O que pensa que está fazendo, criatura?! -Otávio gritou, vendo o homem desesperado-

- Senhor Otávio... senhor... -o soldado estava sem ar-

Parou um pouco, tomou ar e continuou:

- Encontraram um guarda na guarita, da sua Companhia, com drogas! -o soldado disse-

Carrie e Linda se cutucaram, enquanto as outras garotas que alí estavam fizeram um coral de "XIIIIIIII".

- CALEM-SE! -Otávio gritou-

E perguntou:

- O que está dizendo?! Mande aquele infeliz imediatamente para cá! Será punido da melhor forma!

- Não posso Senhor... -o soldado disse-

- Eu não pedi, eu mandei! -Otávio gritou, com uma expressão furiosa no rosto-

- E-eu não posso... Rádius também está lá, senhor... O guarda, está morto... -o soldado deu a notícia-

Linda cambaleou para o lado.

Um Silêncio constrangedor surgiu no ambiente, até que Otávio disse:

- Estão todas liberadas. Não quero ninguém do lado de fora! Todas para seus alojamentos! -ordenou-

E as meninas começaram a cumprir a ordem.

Quando todas se afastaram, o soldado disse:

- Senhor... Fuja, agora... Encontraram um Ipad que levou à dados de seu Notebook. Ouvi tudo antes de vir pra cá. Em breve irão para sua casa, e o senhor terá que dar explicações. O senhor deve se lembrar do que Rádius disse!

- Mas, isso é impossível! Tudo o que eu tenho contra Rádius está na minha Caixa Preta! Não podiam encontrar nenhuma ligação minha com um guarda, até porquê nunca tive ligação com NENHUM guarda! -Otávio disse, com as mãos na cabeça-

- CAPITÃO OTÁVIO AUGUSTO! PARADO! -o Chefe dos Guardas da Companhia de Otávio apareceu, juntamente com vários outros guardas, que foram na direção de Otávio e o prenderam-

- MAS O QUE É ISSO?! Não tem necessidade de me prenderem, já fui informado de que o Guarda estava drogado! -Otávio tentou disfarçar-

- Os acompanhe. Muitas coisas precisam ser explicadas. Eu, vou atrás da Caixa Preta que está sob seus cuidados. -O Chefe dos Guardas disse, fazendo um sinal para que Otávio fosse levado-


... COM JOHN ...

- A saída deve ser por... MERDA! -John se assustou-

Ele havia conseguido sair do quarto, seguiu por um corredor e achou a porta da casa, porém, percebeu que alí estavam muitas pessoas, armadas...

- Aquele desgraçado! Ele mentiu! Não está sozinho! Com certeza o grupo dele de "FUGA" já está tomando forma... -John disse, para si mesmo-

E então retornou pelo mesmo corredor do quarto onde estava, e se meteu num quarto diferente.

Entrou, trancou a porta, e ainda amarrado se jogou em uma cama, tentando pensar. Olhando para o ambiente, percebeu que alí havia um celular.

- ISSO, ISSO! -John comemorou-

E então começou a procurar alguma coisa que pudesse ajudá-lo a mexer. Achou um lápis.

- Suficiente... -John disse-

E então pegou o celular com a boca, o colocou sobre a cama. Logo após, pegou o lápis também com a boca, ligou o celular e começou a digitar algum código estranho.

"Me encontrem apartir do celular, fui sequestrado, não sei onde estou
                                                                 - John"

John enviou a mensagem junto com um código, para que ela aparecesse no Notebook de Carrie e Linda.

A escuridão sempre estará presente, na sua vida; na vida de muitos. Porém, sempre haverá uma luz para acabar com essa escuridão. Ache essa luz, use-a, e todos os males desaparecerão, pouco a pouco. Males como Otávio...

- Agora basta torcer para que elas me encontrem antes que me matem...

Próximo Capítulo:
26/10/12

1 Comentários:

Maria Carolina disse...

Adorei o episódio :). Continue assim ;).

Postar um comentário

Críticas SEMPRE serão aceitas, mas sem palavras grosseiras.
Seu comentário é muito importante :D

Pesquisar este blog

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Ana Naykindo (fofa do Allan) | Proibida a copia total ou parcial do mesmo - Questa è La Magia Del Winx Club - Fã-Blog sem Fins lucrativos>